Blog

Pensamentos da gente e de outros

Para começar um namoro

Para começar um namoro

Pensei em usar outro título para este texto. Algo como “Sete passos para começar um namoro cristão”, mas, na verdade, sete passos são poucos. Para começar um namoro cristão é necessária uma boa caminhada. Aqui, porém, vou deixar algumas dicas.

Primeiro você precisa de um candidato [a]. Sem um pretendente fica impossível começar um namoro. Essa pessoa deve ser alguém que você conhece. Não adianta ser um cantor famoso, por exemplo. E porque você não começa a conhecer alguém através de uma plataforma no Internet, como olaah? (veja www.olaah.com). Lá você encontra pessoas reais que querem conhecer alguém. Tome o primeiro passo. Esse pretendente, além de ser alguém que você conhece e que te conheça também, não precisa ser exatamente igual a você, pelo menos não no jeito de ser. Caso você queira alguém exatamente igual a você, deve pensar em uma forma de conseguir namorar consigo mesmo.

Mas deve [obrigatoriamente] ser alguém que compartilhe os mesmos valores. Refiro-me a valores éticos e bíblicos. Também, deve ser alguém que possui a mesma fé. Não adianta falar que ele [a] “acredita” em Deus. Isso não é o suficiente. É preciso imaginar os frutos, não só admirar a beleza da árvore.

Ore a Deus a respeito da pessoa. Peça a Deus discernimento, sabedoria. Não peça para Deus responder se é “com ele ou com ela”, porque isso é você quem terá de decidir. Não queira fugir da responsabilidade da escolha, mas fique tranquilo e seja atento, pois Deus te dará alguns sinais.

Pra terminar, lembre-se do que Jesus disse ser necessário fazer antes de realizar um grande projeto em sua vida, como um namoro:

Pois qual de vós, querendo edificar uma torre, não se senta primeiro a calcular as despesas, para ver se tem com que a acabar? Para não acontecer que, depois de haver posto os alicerces, e não a podendo acabar, todos os que a virem comecem a zombar dele, dizendo: Este homem começou a edificar e não pode acabar” [Lc 14.28-30].

Para começar um namoro, faça a sua própria avaliação. Pense bem antes de dar o primeiro passo. Depois de ter avaliado, tenha coragem. Comece somente aquilo no qual você acredita.

Deus te abençoe!

Adaptação de um artigo por Alan Corrêa
Veja mais artigos do autor: http://Ultimato.com.br

Clique aqui para se registrar e ver, como essas verdades podem ser aplicadas na sua vida.

Registre-se aqui
Restaurar relacionamentos quebrados

Restaurar relacionamentos quebrados

Nós não somos perfeitos nem convivemos com pessoas perfeitas. Temos, não raro, motivos de queixas uns contra os outros. Os relacionamentos mais íntimos adoecem. As amizades mais próximas acidentam-se nos rochedos das decepções e das mágoas. As palavras de amor são substituídas por censuras e os abraços fraternos são trocados pelo afastamento gelado.

Os relacionamentos adoecem na família, na igreja e no trabalho. Pessoas que andaram juntas e comungaram dos mesmos sentimentos e ideais, afastam-se. Cônjuges que fizeram votos de amor no altar, ferem um ao outro com palavras duras. Amigos que celebravam juntos as venturas da vida, distanciam-se. Parentes que degustavam as finas iguarias no banquete da fraternidade, recuam amargurados. Irmãos que celebravam festa ao Senhor com o mesmo entusiasmo, apartam-se tomados por dolorosa indiferença.

Como podemos restaurar esses relacionamentos quebrados? Como podemos despojar-nos da mágoa que nos atormenta? Como podemos buscar o caminho do perdão e construir pontes em vez de cavarmos abismos?

1. Reconhecendo nossa própria culpa na quebra desses relacionamentos. É mais fácil acusar os outros do que reconhecer nossos próprios erros. É mais fácil ver os erros dos outros do que admitir os nossos próprios. É mais cômodo recolher-nos na caverna da auto-piedade do que admitir com honestidade a nossa própria parcela de culpa. A cura dos relacionamentos começa com o correto diagnóstico das causas que provocaram as feridas. E um diagnóstico honesto passa pela admissão da nossa própria culpa.

2. Tomando atitudes práticas de construir pontes de aproximação em vez de cavar abismos de separação. A honestidade de reconhecer nossa culpa e a humildade de dizer isso para a pessoa que está magoada conosco é o caminho mais curto e mais seguro para termos vitória na restauração dos relacionamentos quebrados. Jesus Cristo nos ensinou a tomar a iniciativa de buscar o perdão e a reconciliação. Não podemos ficar na retaguarda, nos enchendo de supostas razões, esperando que os outros tomem a iniciativa. Devemos nós mesmos dar o primeiro passo. Deus honrará essa atitude.

3. Tomando a atitude de perdoar a pessoa que está magoada conosco assim como Deus em Cristo nos perdoou. É mais fácil falar de perdão do que perdoar. O perdão não é coisa fácil, mas é necessário. Não podemos ser verdadeiros cristãos sem o exercício do perdão. O perdão também não é coisa rasa. Não podemos nos contentar com uma cura superficial dos relacionamentos feridos. Não podemos ignorar o poder da mágoa nem achar que o silêncio ou o tempo, por si mesmos, possam trazer cura para esses relacionamentos estremecidos. O perdão é mais do que sentimento, é uma atitude. Devemos perdoar porque fomos perdoados e devemos perdoar como fomos perdoados. Devemos apagar os registros que temos guardado nos arquivos da nossa memória. Não devemos cobrar mais aquilo que já perdoamos nem lançar mais no rosto da pessoa aquilo que já resolvemos aos pés do Salvador. O perdão é um milagre. É obra da graça de Deus em nós e através de nós. É dessa fonte da graça que emana a cura para os relacionamentos quebrados. Que Deus nos dê a alegria da cura dos relacionamentos no banquete da reconciliação!

Autor: Rev. Hernandes Dias Lopes

Clique aqui para se registrar e ver, como essas verdades podem ser aplicadas na sua vida.

Registre-se aqui
O Negócio é Ficar?

O Negócio é Ficar?

"Ficar" é um fenômeno... Embora o "namoro de praia" sempre existia, esta nova onda social atinge muito mais adolescentes e jovens, e constitui um perigo ainda maior. O que significa "ficar"? Uma reportagem da Veja (13 de junho, 1990) entitulada "O Negócio é Ficar" o descreveu assim:
"Ficar . . . transformou-se na definição de um pré-namoro, em que apenas abraços e beijinhos não têm fim--mas isso não significa que exista um compromisso entre os que ficam."
Em outras palavras, quem "fica" entra num relacionamento que inclui (e normalmente enfatiza) envolvimento físico sem nenhum compromisso de longo prazo. A onda de "ficar" tem atingido uma grande porcentagem da nossa mocidade. Mas poucos têm avaliado biblicamente o que gosto de chamar "ficação".
Para o jovem cristão, o negócio é ficar? Creio que a resposta é: não!! Além disso, creio que "ficação" é mais uma tentação de minar a pureza moral da nossa juventude, neutralizar seu testemunho, e, eventualmente, estragar seus futuros lares. Existem pelos menos duas razões bíblicas porque o cristão não deve seguir a moda de ficar:

1) Amizade cristã implica em compromisso. O livro de Provérbios esclarece a natureza da verdadeira amizade: ela exige constância (Pv. 17:17, 18:24), lealdade (17:10), e compro¬misso (17:17). Não é influenciada pelo "exterior" como bens materiais e aparências (19:4,6,7; 14:20,21). Sempre pensa no bem-estar do outro, não na sua própria gratificação, e não mede esforço para provocar melhoras no caráter do outro (27:17; cf. 27:5,6). A amizade verdadeira segue o padrão de amor em 1 Co. 13:4-8. O compromisso de se dar é muito raro em nossos dias, mesmo entre amigos, e praticamente inexistente no "ficar".

2) Biblicamente, o envolvimento físico legítimo entre duas pessoas sempre exige compromisso sério entre elas, especificamente, casamento. A união física de duas pessoas reflete uma aliança (compromisso) entre elas (Gn. 2:24). Deus criou as expressões físicas de amor e intimidade como uma "escada biológica". No plano de Deus, cada degrau da "escada" leva naturalmente para o próximo, até alcançar o "topo", a consumação sexual. Deus deixa bem claro que esta experiência se reserva para casais casados (Hb. 13:4). Mas deve-se perguntar se um casal tem o direito de subir qualquer degrau da escada quando não há compromisso, seriedade e intimidade interior nos níveis social, emocional, intelectual e espiritual. A Bíblia adverte contra o uso do corpo para satisfazer desejos impuros de uma forma egoista (1 Ts 4:3-8). A exploração do corpo de uma outra pessoa barateia tanto a pessoa quanto o propósito de Deus.

Além destas razões, existem algumas conseqüências sérias de "ficar". Mais uma vez, descobrimos que muitos são enganados para pensarem que ficar "não faz mal". Vários jovens já afirmaram para mim que estas conseqüências são a realidade em suas vidas.

1) Você perde seu testemunho (Mt. 5:13). Muitos jovens ficam porque dizem que "todo mundo faz". Mas a Palavra de Deus nos adverte contra sermos conformados com este mundo (Rm. 12:2). Ter um testemunho implica em ser diferente! O sal que perde seu gosto não vale para mais nada. Onde estão os jovens de garra e fibra como José e Daniel, que resistiram tentação no poder do Espírito?

2) Você se sente sujo, usado, e culpado (Pv. 5:10-13). O jovem em Provérbios 5 reconhece sua insensatez em não dar ouvidos para seus pais e conselheiros. Pena que foi tarde demais. Tenho falado com muitos jovens que confirmam que se sentiram explorados depois de "ficar". Veja citou um psicólogo que afirmou sobre o "ficar" "Nem tudo está perfeito. As meninas ainda têm culpa e os rapazes não estão acostumados a simplesmente ficar. . . Isso quer dizer que os próprios jovens acabam se confundindo . . . ficando com um no sábado e com outro no domingo."

3) Você estraga relacionamentos no corpo de Cristo. Uma das conseqüências de relacionamentos íntimos baratos é que eventualmente a maioria são desfeitos. Mas muitas vezes isso leva a ressentimentos, mágoas e ódio. Nossas igrejas estão cheias de jovens e adultos feridos por outros membros do corpo para quem não podem nem olhar no rosto, embora uma vez fizeram muito mais que olhar. Fica quase impossível voltar para a "estaca zero" de amizade "inocente" quando já trocaram intimidades. O padrão bíblico é para restaurar estes relacionamentos através do perdão. Mas a medicina preventiva da Palavra é nunca ofender o irmão desta maneira. Provérbios diz "O irmão ofendido resiste mais que uma fortaleza; suas contendas são ferrolhos dum castelo" (18:19).

4) Você cultiva um egoismo que pode minar seu futuro casamento. Pessoas que "ficam" aprendem padrões de auto-gratificação, de exploração, e de falta de disciplina moral que no mínimo complicarão seus futuros casamentos, e que poderão facilmente levar à infidelidade conjugal. Isso porque o "ficar" enfatiza os meus desejos, as minhas necessidades, o meu prazer. E depois do casamento? O que impede que estes mesmos padrões continuem? Adquirir padrões de comportamento egoistas é outra conseqüência de "ficar". As pressões para ficar são muito grandes. Mas pela graça de Deus o jovem cristão pode resisti-las. Mas, se alguém já ultrapassou os limites estabelecidos por Deus? Mesmo que alguém já tenha pisado na bola, a graça e a misericórdia de Deus não têm fim (Lm. 3:22, 23). Hoje pode ser o primeiro dia do resto da sua vida - um novo começo. O plano perfeito de Deus é a nossa santificação. Pela sua graça, colheremos os frutos de uma consciência limpa, amizades profundas, e lares felizes. Estas são conseqüências que realmente valem a pena buscar, resistindo as tentações e pressões para ficar.

O negócio é ficar? Creio que para o cristão, a resposta é não.

Adaptação de um Artigo do Pr. Davi Merkh
Veja mais artigos do autor: http://www.palavraefamilia.org.br

Clique aqui para se registrar e ver, como essas verdades podem ser aplicadas na sua vida.

Registre-se aqui
O Amor verdadeiro é exclusivo

O Amor verdadeiro é exclusivo

Certa vez alguém comparou o casamento às moscas na tela da janela da cozinha: as que estão fora querem entrar, e aquelas que estão dentro querem sair.

Para evitar o segundo quadro, e facilitar que o primeiro aconteça sem maiores prejuízos, Deus nos deixou um livro inteiro da Bíblia. Este livro traça a história do amor romântico desde seu início e passando pelos altos e baixos do namoro, noivado, lua-de-mel e cotidiano do casamento. O livro conhecido como o "Cântico dos Cânticos" (o melhor dos cânticos) ou seja, CANTARES, inclui dois refrãos que revelam as características do verdadeiro amor. O amor verdadeiro sabe ESPERAR e o amor verdadeiro e EXCLUSIVO.

Descobrimos a ESPERANÇA do amor verdadeiro na repetição da frase "não acordeis nem desperteis o amor, até que este o queira." O amor espera, pois confia num Deus soberano, em Seu plano perfeito. (Veja o artigo: A Esperança do Amor verdadeiro.) Mas o amor verdadeiro também é exclusivo, pois crê que esse plano inclui UM homem para UMA mulher para uma VIDA INTEIRA.

Cabe agora investigar a EXCLUSIVIDADE do amor conforme Cantares. O refrão que também se repete três vezes (no início, meio e fim do livro) ecoa esse princípio:

Veja Cantares 2:16: O meu amado é meu, e eu sou dele; ele apascenta o seu rebanho entre os lírios. (Também em Cantares 6:3 e 7:10).

É interessante notar que, no argumento do livro, a noiva fala da exclusividade do seu amor, guardado ANTES da consumação do casamento. Ele se reservou exclusivamente para o amado.

O Novo Testamento aplica essa verdade ao contexto do casal casado, em que o corpo de cada um pertence ao outo: "A mulher não tem poder sobre o seu próprio corpo, e, sim, o marido; e também, semelhantemente, o marido não tem poder sobre o seu próprio corpo, e, sim, a mulher." (1 Co 7:4)

Moças, se Deus permitir, seu Príncipe Encantado está assentado em cima do seu cavalo branco em algum canto do mundo, com uma sapatilha de vidro em sua mão, saindo agora de uma longa viagem a seu encontro. Não saia 15 minutos antes que ele chegue para ficar com algum sapo que nunca será príncipe! O amor verdadeiro não somente espera, mas é exclusivamente reservado para a pessoa que Deus escolheu para você.

Gostaria de oferecer algumas sugestões para proteger a exclusividade de seu coração:

a. Preserve-se agora para depois! Lembre-se de que provavelmente existe alguém neste mundo com somente seu nome escrito na tábua do seu coração.
b. Confie em seus pais, parentes (em Cantares os irmãos são guardiões do coração da noiva!) e seus líderes espirituais e amigos sábios para lhe dar direção e conselho em questões do seu coração.
c. Faça um voto de pertencer exclusivamente a pessoa escolhida por Deus para você!
d. Ore pelo seu futuro cônjuge!
e. Se você já "pisou na bola" , confesse seu pecado a Deus e confie que Ele lhe dará um "novo começo". Não viva debaixo da culpa, mas na graça de Jesus.

Deus não passa vergonha, nem gagueija quando fala de paixão romântica. Foi Ele quem inventou o amor, e Ele tem um plano perfeito para sua vida. Deus reserva os maiores prazeres romântcos para aqueles que saibam esperar o tempo dEle! Por isso, o amor perfeito é caracterizado por Esperança e Exclusividade:
"Não acordeis nem desperteis o amor, até que este o queira."
"Eu sou do meu amado, e o meu amado é meu.“

Adaptação de um Artigo do Pr. Davi Merkh
Veja mais artigos do autor: http://www.palavraefamilia.org.br

Clique aqui para se registrar e ver, como essas verdades podem ser aplicadas na sua vida.

Registre-se aqui
A Esperança do Amor Verdadeiro

A Esperança do Amor Verdadeiro

Enquanto o mundo fala muito sobre paixão e amor verdadeiro, alguns acham que Deus fica ver-melho ou gagueija quando toca em assuntos românticos. Nada mais distante da verdade! Deus não somente fala sobre a paixão romântica, foi Ele quem a criou e abençoou. Não é de estranhar que Ele dedicou um livro inteiro da Bíblia sobre esse assunto . . . o livro conhecido como o "Cânti-co dos Cânticos" (ou Melhor dos Cânticos) ou seja, o livro de CANTARES.

A mensagem do livro fica clara: Deus criou e abençoou o amor verdadeiro entre um homem e uma mulher. Mas quais as características desse amor? Como identificá-lo? Como distinguir entre "pai-xão" superficial e amor genuíno? Essas perguntas perturbam adolescentes e jovens à procura do seu "príncipe encantado". Complicam a vida dos pais que desejam orientar seus filhos no caminho espinhoso do amor.

O livro de Cantares identifica muitos elementos do amor verdadeiro, mas dois se destacam. O amor verdadeiro sabe ESPERAR e o amor verdadeiro é EXCLUSIVO. Vamos investigar cada ca-racterística à luz do livro mais romântico da Palavra de Deus.

I. A Esperança do Amor Verdadeiro

Há muitas "estrofes" no "Cântico dos Cânticos", mas somente 2 frases repetidas como "refrão" no livro. Cada frase se encontra exatamente três vezes, espalhadas no início, meio e fim do livro. Servem como "coros" que ecoam a mensagem do livro.

O primeiro refrão simplesmente diz "não acordeis nem desperteis o amor, até que este o queira". A frase aparece pela primeira vez em 2:7: Conjuro-vos, ó filhas de Jerusalém, pelas gazelas e cervas do campo, que não acordeis nem desperteis o amor, até que este o queira. Mais tarde se repete em 3:5 e 8:4.

Três vezes, em momentos de intensa paixão entre a noiva e o noivo, ela exorta suas amigas so-bre a natureza do verdadeiro amor. O amor verdadeiro sabe esperar, e por isso, pode desfrutar ao máximo as delícias que Deus sempre tencionou para o casal. Amor verdadeiro não é precipitado, precoce, adiantado ou impaciente. Não precisa manipular as circunstâncias para "ganhar" o amor. Não precisa seduzir para chamar atenção para si mesmo. Não precisa "se entregar" com medo de perder o amado.

A mensagem de Cantares é simples mais clara: Deus reserva os maiores prazeres matrimonias e amorosos para aqueles que saibam esperar o tempo dEle! Mas mágoas e ressentimento esperam os que adiantam o tempo de Deus nos relacionamentos românticos.

Tudo isso bate bem com o texto clássico de amor bíblico, 1 Coríntios 13, que descreve o amor verdadeiro assim: "É paciente... não arde em ciúmes... não se conduz inconvenientemente, não procura os seus interesses... tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta."

Por quê alguns apressam o amor? Há muitos fatores, mas a falta de confiança na soberania e no amor de Deus certamente se destacam. Deus tem, sim, um plano maravilhoso para nossas vidas. Ele nos ama mais que nós nos amamos. Mas o medo de ficar na "solteirice" às vezes leva para relacionamentos precipitados. A pressão de colegas também faz com que abaixemos nosso pa-drão. Quando esquecemos que Deus tem tudo sob controle; que Ele quer nosso bem; e que Ele desperta o amor na hora certa, é fácil cair na tentação de tomar a situação em nossas mãos.

"Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo propósito debaixo do céu... tempo de abraçar, e tempo de afastar-se de abraçar...tudo fez Deus formoso no seu devido tempo" (Ecl 3:1, 5,11)

Como aplicar esse princípio do amor que espera?

a) Espere o amor verdadeiro! Não ceda às pressões de ser precipitado no ficar, no namorar, no noivar, no casar. É difícil esperar, às vezes parece difícil demais, mas Deus não permitirá que vo-cê seja tentado além da sua capacidade de suportar.
b) Confie na soberania de Deus. Ele tem tudo sob controle, e tem um tempo determinado para você. Não pense que será um "encalhado" para o resto de sua vida se não "fazer a coisa aconte-cer". Deus ama você, e tem um plano maravilhoso para sua vida!

Acima de tudo, lembre-se de que Deus reserva os maiores prazeres românticos para aqueles que saibam esperar o tempo dEle!

No próximo artigo, descobriremos o segundo elemento do amor verdadeiro, a EXCLUSIVIDADE.

Adaptação de um Artigo do Pr. Davi Merkh
Veja mais artigos do autor: http://www.palavraefamilia.org.br

Clique aqui para se registrar e ver, como essas verdades podem ser aplicadas na sua vida.

Registre-se aqui
Se encontraram no olaah

Se encontraram no olaah

Nós da equipe do olaah.com ficamos mais do que felizes, quando ouvimos, que o primeiro namoro (pelo menos até onde sabemos) se formou com a ajuda da nossa plataforma. Que benção! Escrevemos algumas pequenas perguntas para o casal, Jô e Lu. Aqui vem as respostas. Você pode ser o próximo.

Jô e Lu, o primeiro contato de vocês foi aqui no olaah.com. Por que vocês se cadastraram aqui?
A princípio, ambos entramos por curiosidade e por se tratar de um site sério para relacionamento entre cristãos.

Vocês tinham medo ou algum receio em se cadastrar online?
Não, não tinhamos. O site demonstrou confiança para ambos.

Quanto tempo demorou para vocês se “acharem” no site?
Demoramos mais ou menos 1 semana para nos conhecer.

Conta pra nós, como foi o primeiro encontro de vocês na vida real?
Após conversarmos um mês por telefone, skype e whatsapp, sentimos a necessidade de nos conhecer pessoalmente. Marcamos um encontro em um ponto turístico na cidade dela e lá nos conhecemos.

No fim, Jô e Lu, queremos saber, que dicas vocês poderiam dar, para as pessoas do olaah.com?
Sejam sinceros e transparentes em todo o processo, desde as primeiras conversas, até marcarem o encontro.

Clique aqui para se registrar e ver, como essas verdades podem ser aplicadas na sua vida.

Registre-se aqui
Sobre Casamento e amor

Sobre Casamento e amor

„Não é bom que o homem esteja só.
Far-lhe-ei uma companheira que lhe seja suficiente“.
[Gênesis 2.18]

Venho me perguntando o que faz as pessoas optarem pelo casamento se contam com outras alternativas para a vida a dois. A justificativa mais comum para o casamento é o amor. Mas devemos considerar que amor é uma experiência cuja definição está em xeque não apenas pela quantidade enorme de casais que “já não se amam mais”, como também pelo número de pessoas que se amam, mas não conseguem viver juntas.

Talvez por estas duas razões – o amor eterno enquanto dura e o amor incompetente para a convivência – nossa sociedade providenciou uma alternativa para suprir a necessidade afetiva das pessoas: relacionamentos temporários em detrimento do modelo indissolúvel. Mas, mesmo assim, o número de pessoas que optam pelo casamento em sua forma tradicional, do tipo “até que a morte vos separe” cresce a cada dia.

Acredito que existe uma peça do quebra cabeça que pode dar sentido ao quadro. Trata-se da urgente necessidade de desmistificar este conceito de amor que serve de base para a vida a dois. Afinal de contas, o que é o amor conjugal? Para muitas pessoas, é confundido com a paixão. Paixão é aquela sensação arrebatadora que nos faz girar por algum tempo ao redor de uma pessoa como se ela fosse o centro do universo e a única razão pela qual vale a pena viver. Esta paixão geralmente vem acompanhada de uma atração quase irresistível para o sexo, e não raras vezes se confunde com ela. Assim, palavras como amor, paixão, desejo e tesão acabam se fundindo e tornando-se quase sinônimas.

Este conceito de amor justifica afirmações do tipo “sem amor nenhum casamento sobrevive”, “sem paixão, nenhum relacionamento vale a pena”, “é o sexo apaixonado que dá o tempero para o casamento”.

Minha impressão é que todas estas são premissas absolutamente irreais e falsas. Deus justificou a vida entre homem e mulher afirmando que “não é bom estar só”. Nesse sentido, casamento tem muito pouco a ver com paixão arrebatadora e sexo alucinante. Casamento tem a ver com parceria, amizade, companheirismo, e não com experiências de êxtase. Casamento tem a ver com um lugar para voltar ao final do dia, uma mesa posta para a comunhão, um ombro na tribulação, uma força no dia da adversidade, um encorajamento no caminho das dificuldades, um colo para descansar, um alguém com quem celebrar a vida, a alegria e as vitórias do dia-a-dia. Casamento tem a ver com a certeza da companhia do outro no dia do fracasso, e a mão estendida na noite de fraqueza e necessidade. Casamento tem a ver com ânimo, esperança, estímulo, valorização, dedicação desinteressada, solidariedade, soma de forças para construir um futuro satisfatório. Casamento tem a ver com a certeza de que existe alguém com quem podemos contar apesar de tudo e todos ... a certeza de que, na pior das hipóteses e quaisquer que sejam as peças que a vida possa nos pregar, sempre teremos alguém ao lado.

Nesse sentido, não é certo dizer que sem amor nenhum casamento sobrevive, mas sim que sem casamento nenhum amor sobrevive. Não é certo dizer que sem paixão, nenhum relacionamento vale a pena, mas sim que sem relacionamento nenhuma paixão vale a pena. Não é o sexo apaixonado que dá o tempero para a vida a dois, mas a vida a dois que dá o tempero para o sexo apaixonado. Quanto mais valiosa a pessoa, mais prazeroso e intenso o sexo. Quanto maior o afeto, mais prolongado o tesão.
Podemos resumir a vida a dois, entre homem e mulher, conforme idealizada por Deus, em três palavras que descrevem um casal bem sucedido.

Um casal bem sucedido é um par de amantes.

Um casal bem sucedido é um par de amigos.

Um casal bem sucedido é um par de aliados.

São três letras A que fornecem a base de uma relação duradoura. Amante se escreve com A. Amigo se escreve com A. Aliado se escreve com A. E não creio ser mera coincidência o fato de que todas as três, amante, amigo e aliado, se escrevem com A… A de AMOR.

Autor: Ed René Kivitz

Clique aqui para se registrar e ver, como essas verdades podem ser aplicadas na sua vida.

Registre-se aqui
Perdão - remédio para a saúde emocional

Perdão - remédio para a saúde emocional

O perdão é o melhor remédio para a saúde emocional. O perdão é a assepsia da alma, a faxina da mente, a alforria do coração, a cura das emoções. Perdoar é lembrar sem sentir dor. Perdoar é zerar a conta e não cobrar mais a dívida. O perdão é ato de misericórdia e manifestação da graça. O perdão é absolutamente necessário. E isso, por várias razões:

  1. O perdão é necessário porque temos queixa uns dos outros. Nós não somos perfeitos, não viemos de uma família perfeita, não temos um casamento perfeito, não temos filhos perfeitos nem frequentamos uma igreja perfeita. Consequentemente, nós temos queixas uns dos outros. Na verdade, nós decepcionamos as pessoas e as pessoas nos decepcionam. Nossas fraquezas transpiram em nossas palavras e atitudes. Sem o exercício do perdão ficamos entupidos de mágoas e a mágoa gera raiz de amargura no coração. Não somente isso, a amargura perturba a pessoa que a alimenta e contamina as pessoas ao redor.
  2. O perdão é necessário porque fomos perdoados por Deus. Quem é receptáculo do perdão precisa transformar-se em canal do perdão. Aqueles que retêm o perdão ao próximo fecham-se para receber o perdão de Deus. Não existe uma pessoa salva que não tenha sido perdoada. Na verdade, no céu só entrarão os perdoados. Logo, é impossível ser um cristão sem exercitar o perdão. Devemos perdoar assim como fomos perdoados. Como Deus nos perdoou devemos nós também perdoar uns aos outros. Quando compreendemos a enormidade do perdão recebido por Deus, não temos mais motivos para sonegar perdão ao próximo. Nossa dívida com Deus era impagável e Deus no-la perdoou completamente. Não fomos perdoados por mérito, mas por graça. Perdão não é reinvindicação de direito, mas o clamor solícito da misericórdia.
  3. O perdão é necessário porque por meio dele restauramos relacionamentos feridos. A Bíblia não oculta o perigo devastador da mágoa dentro da família e da igreja. Exemplos como Caim e Abel, José e seus irmãos, Absalão e Amnon retratam essa amarga realidade. Há pessoas feridas dentro do lar e também na assembleia dos santos. Há pessoas doentes e perturbadas emocionalmente porque um dia foram injustiçadas por palavras impiedosas e atitudes truculentas. Há pessoas prisioneiras de traumas e abusos sofridos na infância. Há indivíduos que não conseguem avançar vitoriosamente rumo ao futuro porque nunca se desvencilharam das amarras do passado. O perdão destampa esse poço infecto. Espreme o pus da ferida. Cirurgia os abcessos da alma. Promove uma assepsia da mente e proclama a libertação das grossas correntes do ressentimento. O perdão constrói pontes no lugar que a mágoa cavou abismos. O perdão passa o óleo terapêutico da cura, onde o ódio abriu feridas. O perdão promove reconciliação onde a indiferença quebrou relacionamentos. O perdão expressa o triunfo da graça, onde o ódio mostrou a carranca do desprezo.
  4. O perdão é necessário para experimentarmos plena felicidade.Uma pessoa que nutre mágoa no coração não é feliz. O ressentimento é autofagia, é autodestruição. Guardar mágoa é a mesma coisa que o indivíduo beber um copo de veneno pensando que o outro é quem vai morrer. Nenhum calmante químico pode aquietar uma alma desassossegada pela mágoa. Nenhum prazer deste mundo pode aliviar a dor de um coração ferido pelo ódio. A mágoa produz muitas doenças. Quem não perdoa adoece física, emocional e espiritualmente. Mas, o perdão traz cura completa para o corpo e felicidade plena para a alma.

Autor: Rev. Hernandes Dias Lopes

Clique aqui para se registrar e ver, como essas verdades podem ser aplicadas na sua vida.

Registre-se aqui
5 dicas para ter um namorado abençoado

5 dicas para ter um namorado abençoado

"A bênção do Senhor enriquece e não acrescenta dores" (Provérbios 10.22).

Muitos querem ter um namoro abençoado por Deus, mas poucos sabem quais são os passos que devem seguir. Por isso, quero compartilhar algumas dicas que poderão te ajudar a ter um namoro abençoado:

1) Se conheçam bem antes de começar o namoro

Por que ter pressa para começar o namoro? Apenas para mostrar à família ou pessoas da igreja de que agora vocês não são apenas amigos? Eu lembro que quando conheci minha esposa, nós ficamos conversando por quatro meses antes de darmos nosso primeiro beijo. Foi uma experiência tão boa que hoje recomendo a todos. Ao decidirem separar um tempo para se conhecerem, vocês conseguirão observar melhor um ao outro e sondar os sentimentos de cada um. Caso não dê certo e vocês decidam continuar sendo amigos, o sofrimento será bem menor. Durante esse período estabelecido por vocês (não pode ser muito tempo), é muito importante que vocês orem juntos, por telefone ou pessoalmente, e peçam a Deus que revele se o que vocês estão sentindo é amor ou apenas uma atração, que chamamos de "química".

2) Sigam as orientações de Deus

É você quem escolhe com quem quer namorar, mas Deus irá te orientar nessa escolha. Por isso, veja se a pessoa em que você está interessado tem uma vida baseada nos princípios de Deus. É claro que você nunca achará a pessoa perfeita, mas que pelo menos esteja buscando uma vida de santidade e obediência a Deus. Veja como ele(a) trata os seus pais, seus amigos e as pessoas ao redor. Observe seu comportamento dele(a) diante de situações boas e ruins e veja quais são as suas companhias, etc. Saiba que Deus também usa os nossos pais para nos orientar, então fique atento aos seus conselhos deles, pois pode ser o próprio Deus falando através de suas bocas. E nunca se esqueça: Nós colhemos os frutos das nossas escolhas!

3) Não brinquem com o pecado

Não façam carícias em partes do corpo que vocês sabem que irão estimular o desejo sexual. Deus conhece a intenção que está por trás do toque. A Bíblia diz que se resistirmos ao diabo, ele fugirá de nós (Tiago 4:7), mas em relação às paixões da carne, a ordem é fugir!

"Fuja dos desejos malignos da juventude e siga a justiça, a fé, o amor e a paz, juntamente com os que, de coração puro, invocam o Senhor" (2 Timóteo 2:22)

4) Não tenha medo de dizer não

Saber "dizer não" te livrará de muito problemas. Sempre que você perceber que algo não está certo no seu namoro, não tenha medo, nem se sinta culpado(a) de dizer NÃO ao seu namorado(a)! Seja firme e não ceda às chantagens emocionais, pois a emoção quase sempre contraria a razão.

5) Deixe Deus participar do namoro

Muitas pessoas não oram e não entregam seus sonhos nas mãos de Deus, porque têm medo Dele frustrá-los. Acham que Deus é um estraga-prazer, que proíbe tudo e que não quer vê-los felizes aqui na terra. Mas Deus nunca faz nada para nos prejudicar. Ele é um Pai maravilhoso e se algo em que oramos deu errado, é porque Ele nos livrou. Creiam que Deus sempre será o ajudador de vocês, por isso, quanto mais vocês O colocarem no centro do relacionamento, mais Ele irá ajudá-los a resolver situações que vocês não conseguiriam sozinhos. O que tornará o seu namoro abençoado é como vocês estão diante de Deus. Se vocês têm praticado a Palavra de Deus, isso fará uma grande diferença, pois durante as discussões (que são normais na vida de qualquer casal), vocês saberão resolver da melhor maneira possível, e o amor nunca se esfriará.

Adaptação de um artigo do Pastor Antonio Junior

Clique aqui para se registrar e ver, como essas verdades podem ser aplicadas na sua vida.

Registre-se aqui
Seja você a pessoa certa

Seja você a pessoa certa

Já pensou em como o mundo seria melhor se a gente parasse de buscar a pessoa certa e nos tornássemos essa pessoa?

Todas as vezes que ministro essa palavra em um congresso eu pergunto: “Quais são as características que tornam uma pessoa a certa para você?”.

As respostas são sempre as mais variadas:

  • Carinhosa
  • Bonita
  • Que tenha caráter
  • Que goste de McDonald’s
  • Que esteja em um ministério
  • Que ame a Deus

e por ai vai… sempre variando em torno de um padrão estético a um padrão espiritual.

Não vejo problema algum em alguém esperar encontrar essas características em outra pessoa. Entretanto, quando eu pergunto: “quais dessas características você já possui ou está desenvolvendo em sua vida?”. Ai a coisa muda e tudo o que vejo são pessoas murchando e escorrendo feito água em seus assentos.

Mais importante que procurar a pessoa certa, é ser a pessoa certa. Afinal, se estamos esperando alguém que seja um presente de Deus, precisamos nos preparar para ser um presente para essa pessoa.

Características como: atitude, caráter, maturidade, fidelidade, responsabilidade, honestidade, sinceridade, verdade, amor e compromisso com Deus demonstram se uma pessoa está ou não pronta para um relacionamento.

Desenvolva essas características em sua vida e você estará fazendo um grande favor ao mundo, a pessoa com quem você vai se relacionar e a você mesmo!

Deus abençoe sua vida rica e abundantemente.

Autor: Pastor Junior Meireles

Clique aqui para se registrar e ver, como essas verdades podem ser aplicadas na sua vida.

Registre-se aqui